Papa Pio Xii - Eugenio Pacelli   E-mail "cfmssc@corredentrice.it"   Ecce Fiat Magnificat   Benedictus XVI - Joseph Ratzinger

Congregazione

Figlie Maria SS. Corredentrice

Home Su News Contatti Ricerca Sommario

Profile
Su Profile Oração

 

Congregazione Figlie di Maria SS. Corredentrice - Congregation Daughters of Mary, the Most Holy, Co-Redemptrix

Home
Su

Sito ufficiale della Santa Sede

L'Osservatore Romano Quotidiano ufficiale della Santa Sede

Radio Vaticana - La voce del Papa

Chiesa Cattolica Italiana Sito ufficiale della C.E.I. - Conferenza Episcopale Italiana)

Sir - Agenzia Servizi Informazione Religiosa

Sat2000 - Il Network radio-televisivo via satellite dei cattolici italiani

Avvenire - Quotidiano nazionale d'ispirazione Cattolica

RAI "A Sua Immaggine" - Il sabato: dalle 17.10 alle 17.40 1^ parte: A sua immagine e 2^ parte: A Sua immagine – Le Ragioni della Speranza - La domenica: il settimanale di comunicazione religiosa - Gli speciali: In onda nelle festività più importanti

Almo Collegio Capranica

Amici del Seminario di Milano - Seminario Arcivescovile Pio XI (Venegono Inferiore) e Seminario S. Pietro Martire (Seveso)

Missioni Consolata

Famiglia Cristiana

Centro Sportivo Italiano - Dai Valore allo SPORT

L'Avvenire di Calabria - Settimanale delle Diocesi di Reggio Calabria - Bova (RC) - Locri (RC) - Gerace (RC)

Lista dei Siti Cattolici in Italia a cura di Francesco Diani

Totus Tuus Network

Noi Cattolici - Portale Cattolico Italiano

A serva de Deus Rosella Stàltari

A serva de Deus Rosella Stàltari

Nascida em Antonimina (Calábria, Itália) Morta em Palermo (Sicilia, Itália)
em 3 de maio de 1951 em 4 de janeiro de 1974

 

A serva de Deus Rosella Stàltari

Rosella Stàltari pode ser definida sem dúvida como uma filha do seu tempo e do ambiente do Mezzogiorno italiano no qual nasceu.

Em uma localidade agreste e isolada, chamada não sem motivo “Cacciagrande” (caça de grande porte), no concelho de Antonimina, província de Reggio Calabria, na região Calábria, Itália; se abre, e passa como um sopro, a vida desta tenra moça. Em 3 de maio de 1951, em Cacciagrande, localidade que só por isso merece um olhar particular de atenção, nasce terceira filha de Antonio e Maria Reale, a nossa Rosella.

Decorridos poucos meses, por causa de uma inundação que se abateu sobre aquele território, a família Stàltari é obrigada a fugir. Encontra abrigo inicialmente na Via Marrapodi e sucessivamente na Via Littorio, na cidade de Antonimina.

Alí Rosella, com apenas dois anos e cinco meses de idade, perde tragicamente a sua mãe, vítima de um banal tombo de uma escada.

Tendo ficado orfã, a menina encontra acolhida junto ao Instituto Scannapieco de Locri, aonde permanece até a idade de 14 anos.

Os anos da infância e da adolescência de Rosella são caracterizados por sofrimentos, privações e por uma terrível carência de afeto. Tudo isto incide profundamente no ânimo da jovem Rosella, a torna hipersensível, e provavelmente mina também a sua saúde. Uma têmpera assim dura recebida em tão tenra idade faz com que ela amadureça precocemente.

No curso desta breve exposição, serão citados -na forma original, para não perder o fascínio, o frescor de seu perfume- algumas passagens do seu epistulário e do seu diário espiritual.

Eis a confirmaçao de quanto foi dito, em uma reevocação do passado, feita por Rosella aos 16 anos de idade:

“Era ainda uma menina e me parecia ter já vivido bastante, me parecia ser mais velha e de não ter necessidade de ninguém; mas não me dava conta de que a dor em mim fazia maior a idade”

       Tendo terminado em Locri o primeiro ciclo de estudos, Rosella è transferida a Reggio Calabria, onde trabalhavam as Filhas de Maria Santíssima Corredentora, que dirigiam uma casa-família na qual eram acolhidas jovens assistidas por diversos entes porque orfãs, pobres, ou com situações familiares difíceis.

       O ingresso no novo Instituto, ocorrido no dia 15 de outubro de 1965, faz com que Rosella recupere luz, ordem e uma orientação decidida em direção aos valores genuínos escondidos no seu âmago como pérolas preciosas.

       Em Reggio Calabria ela se encontrará ao lado de um santo sacerdote, homem com coração de pai, o padre Vittorio Dante Forno, brasileiro, fundador daquela congregação religiosa. Encontrará igualmente Maria Salemi, sua colaboradora no projeto de fundação e plena de maternidade. Os dois a guiarão com saberdoria no seu caminho ascético-místico.

       No novo ambiente, gratificante e acolhedor, bem distinto daquele no qual havia vivido até então, Rosella completa o curso de seus estudos, conseguindo o diploma de secretária executiva e posteriomente aquele de professora primária.

       Rosella não parece diferente das demais meninas, passa a sua vida com as dificuldades comuns as companheiras da sua idade, considera ter um caráter difìcil e se define “selvagem”. Interiormente, porém, era diversa: revela haver um temperamento excepcional, uma capacidade de autocontrole e de esquecer-se de si mesma não comuns, e uma incansável disponibilidade ao sacrifício. Não gosta de chamar atenção sobre si, como emerge de um desejo expresso na sua adolescência, encontrado no seu diário:

“Faz ò meu Deus que eu passe a minha vida sobre a Terra sem que ninguém se dê conta de mim.”

       Uma frase emblemática para a sua vida espiritual. Padre Graziano Pesenti, carmelitano, faz uma observa: “sorriso, serenidade no rosto, graça no trato, eram sinais de uma delicada percepção de ânimo”

       Rosella mantem uma intensa correspondência com os superiores do Instituto já que, ela mesma havia confirmado o seu péssimo temperamento, não consegue exprimir-se verbalmente, e recorre à forma escrita para fazer-se ajudar na vida espiritual.

       Em duas brevíssimas passagens motiva tal escolha. A primeira, tirada de uma carta ao padre Forno em 1968, com a idade de 17 anos:

“Pai caríssimo, queria que o senhor se tornasse meu diretor espiritual, de modo que, vindo a conhecer a minha alma, possa desta arrancar toda e qualquer coisa que possa minimamente fazê-la distrair-se ou afastar-se da verdadeira luz que é Jesus”      

            Sucessivamente, no mesmo ano, escreve à diretora:

“Quero me confiar à senhora, queria que a senhora me ensinasse a amar Jesus, a segui-lo e a ser toda sua”

            Amor-luz: coordenadas de base na linguagem de Rosella, que se entrelaçam e aparecem com insistência até alcançar proporções esconfinantes e prorrompentes.

Em um estudo sobre a espiritualidade de Rosella a famosa escritora Maria Papasoli se exprime assim sobre o seu epistolário:

“A presente correspondência será para nós o fio condutor para seguir o itinerário de uma pequena vida, não de uma alma pequena, de uma vida feita de nada na perspectiva  externa, se não do monótono cotidiano, o repetir-se de atos e hábitos, que, porém, provocavam nela uma ressonância viva e profunda, como um qualquer grande evento teria podido fazer.”

       São exemplares os sentimentos de confiança, de respeito, de total submissão e de sincera benevolência que Rosella nutre pelos seus superiores: as cartas inviadas a eles são marcadas por uma extrema simplicidade, por uma confiança humilde e filial: ela se une docilmente aos sentimentos deles, traduzindo-os sem hesitação em fatos concretos, demonstrando acreditar profundamente nas palavaras de Jesus no evangeho de Lucas (10, 16): “Quem escuta a vós, escuta a mim”. 

       Rosella desde a juventude tem uma devoção sincera e robusta por Nossa Senhora, cada recorrência mariana era por ela vivida com visível e extraordinário zelo. Cada carta ou página de diário leva escrito a saudação “Ave Maria”. Eis uma das suas inumeráveis invocações:

“Me dê tanto amor Virgem Maria, amor puro que deixa na alma a marca indelével do Teu Jesus”

       A conformação a Cristo na dor sempre presente na vida de Rosella, é ela mesma que afirma:

“a minha dor escondida, ninguem a vê, mas  igualmente me atormenta”

       O sofrimento mais agudo dá têmpera, purifica o espírito de Rosella e o dispõe em direção a escaladas sempre mais ríspidas e acidentadas. Eis a intensidade do seu embate interior:

“Onde estàs, ò Jesus, quando me sinto terrivelmente, tremendamente sozinha? Por que te escondes?”

       Rosella sempre projetada em direção aos valores sobrenaturais, em direção a uma contínua elevação, e amadurece no seu coração o desejo de abraçar a vida religiosa.

       Padre Carlo Cremona exprime com estes termos o intento de Rosella:

“Rosella caminhava traçando para si uma estrada em meio a espinhos, e na sua ‘selvagem’ sensibilidade, se tinha enamorado de Jesus como uma mística”

       Percorridos os grandes passos e tempos prescritos, em 2 de julho de 1973, Rosella faz prorromper vigoroso e solene de seu espirito o cântico do júbilo porque, com a profissão religiosa pode finalmente pronunciar a Jesus o seu SIM com tais acentuações e dimensões:

“este SIM, aquele que me ligarà a Ti para sempre e por isso quero pronunciá-lo grande, generoso, ilimitado e amante sobre tudo de Ti e da Tua Cruz”

       Rosella se adequa em modo rápido à espiritualidade das Filhas de Maria Santíssima Corredentora, que tem por escopo aquele de “formar almas que se ofereçam Óstias pelo sacerdócio, segundo o comportamento da Virgem Corredentora, ou seja, na penumbra, ocultamente, no silêncio, na contemplação, no trabalho, na sua imolação à vontade de Deus, conhecida, amada e aceitada”

       Rosella acredita firmemente que para seguir Cristo em maneira radical precisa despir-se de todos e de tudo e com tons sapienciais, com maturidade típica de uma mulher já introduzida nos caminhos do Espirito, prepara um testemento espiritual, aos 22 anos, poucos meses antes da sua morte:

“Rosella, se destes toda inteira a Jesus,

deves saber encontrar tudo em Jesus,

aquilo que encontraràs longe de Jesus serà nada.”

 

 

Oração Para obter a glorificação de Rosella Stàltari

 

Indirizzo - Address

Casella Postale/P. O Box N. 257

C.A.P./Zone Code International - 89100

Città/City - Reggio di Calabria (RC) - Italy

 

Inviare a webmaster (Giobar) un messaggio di posta elettronica contenente domande o commenti su questo sito Web.
Ultimo aggiornamento: lunedì 25 maggio 2009 00.09.08 +0200
Copyright © 11 agosto 2000 - 2009 Congregazione Figlie Maria SS. Corredentrice
 Tutti i marchi citati in queste pagine sono Copyright © dei rispettivi proprietari

 Internet Iexplporer 8 Sito ottimizato per "Mozilla Firefox"